quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Inspetora da PJ suspeita de homicídio da avó do marido, natural da Figueira da Foz, fica em prisão preventiva

Na Figueira da Foz, de onde é natural, os que a conheciam não percebem o que aconteceu. 
Indícios recolhidos pelos investigadores levaram a Juíza a enviar Ana Saltão, de 36 anos, para a cadeia, por ser a única suspeita de ter assassinado, com 14 disparos, Filomena Gonçalves, avó do seu marido, crime que aconteceu no passado dia 21 em Montes Claros, Coimbra. 
Recorde-se que já havia furtado a arma do crime a uma colega sua da PJ do Porto, e encontrava-se de baixa médica o que já lhe daria liberdade de movimentos. O seu telemóvel estaria desligado durante a tarde do crime o que é interpretado como um sinal para despistar os investigadores. Além disso, uma ferida que apresenta numa mão será compatível com os disparos de uma arma como a utilizada no crime. A motivação terá sido económica (…/…) Tudo indica que o marido nada teve a ver com esta situação, pois à hora do crime encontrava-se nas instalações da PJ do Porto, como confirma o respetivo sistema de videovigilância. 
“Família de grande dignidade e em muito sofrimento” é o que dizem as pessoas próximas dos familiares da inspetora da Judiciária. (Compilado do Diário de Coimbra, com a devida vénia)

Sem comentários:

CLIQUE EM MENSAGENS ANTIGAS E CONTINUE A LER 'O PALHETAS NA FOZ'
=================================================================

Translate this newspaper for other languages

---------------------------------------------------------------------------------------------------