quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Associação de Pescadores culpa barra do porto da Figueira por naufrágio

Segundo José Festas, a barra está construída no sentido sudeste-noroeste, o que obriga os barcos a receberem as ondas de lado quando entram no mar. Foi o que terá acontecido. A embarcação, de 15 metros de comprimento, recebeu o embate de uma onda mais forte, primeiro, e depois uma segunda que a afundou. “Se a barra tivesse saída mais para norte as embarcações recebiam as ondas na proa, que tem muito mais facilidade de segurar a onda”, argumenta o presidente da Associação Pró-Maior Segurança dos Homens do Mar. 
Um dado surpreendente é que nenhum dos homens foi encontrado com colete salva-vidas. “Não são obrigados pela lei a utilizá-lo”, garante José Festas, referindo que essa imposição não recai sobre os ocupantes de todo o tipo de barcos. “E o mar não estava mau, se não a barra estaria fechada”, acrescenta, referindo-se a sexta-feira. Então porque é que se deu o acidente? “A forma como a barra foi feita faz com que as embarcações estejam sujeitas ao acidente”, respondeu. (Compilação do ‘Público online’) 
Por sua vez o comandante do Porto da Figueira da Foz, Rui Amado, não comenta a alegada perigosidade da barra, antes dizendo que “tem as suas próprias características e que através das cartas marítimas os profissionais da pesca devem conhecê-las, estando nelas já está referenciado o novo enfiamento de saída e entrada, e daí retirarem os devidos cuidados a ter.”
Também Manuel Pinto de Abreu, secretário de Estado do Mar, em declarações ao Jornal de Noticias, negou que o naufrágio do dia 25 de outubro na Figueira da Foz estivesse relacionado com o assoreamento da barra, considerando que foi provocado por "condições excecionais", e que "nenhuma embarcação de pesca tem qualquer condicionante à prática do porto da Figueira da Foz" que está preparado para navios com um calado máximo de seis metros.

3 comentários:

Anónimo disse...

"Nenhum dos homens foi encontrado com o colete salva-vidas porque não é obrigatório". Então e será muito difícil legislar nesse sentido, para uma coisa que deveria até ser da própria iniciativa dos pescadores!?
A.O.

Anónimo disse...

O mestre de pesca José Festas deveria saber que quando a barra está condicionada, a decisão de saída é da exclusiva responsabilidade do mestre, mesmo que este não seja o armador da embarcação.A ausência de coletes envergados numa barra deste tipo com ondulação larga e descontínua seria da mais elementar prudência, mesmo que esse facto por si só não fosse impeditivo do acidente.Mestre Festas faça um bom trabalho junto da comunidade local desfazendo o mito que os verdadeiroa homens do mar não necessitam de coletas. A bem de vidas humanas.

Anónimo disse...

O colete é obrigatório - ver mais aqui http://www.mutuapescadores.pt/novo/Coletes-Artigo-Marinha_Jan2013.pdf

O anónimo anterior tem toda a razão e bom senso, o que falta a muita gente que anda no mar .

CLIQUE EM MENSAGENS ANTIGAS E CONTINUE A LER 'O PALHETAS NA FOZ'
=================================================================

Translate this newspaper for other languages

---------------------------------------------------------------------------------------------------