sexta-feira, 14 de março de 2014

Embargada demolição de edifício onde antigamente se situava a antiga Junta Autónoma do Porto por suspeitas de amianto

Os proprietários do edifício, depois da notificação para obras de recuperação, "optaram pela demolição".
A autarquia da Figueira da Foz embargou a demolição de um prédio de dois pisos, bastante degradado, por alegada violação do caderno de encargos existindo suspeitas que parte do telhado contenha amianto, disse fonte camarária. 
"Tinham de preservar cantarias e ferros e também não cumpriram com as regras para retirada de telhas de fibrocimento [que poderão conter amianto] que existiam em parte do telhado", disse fonte do gabinete da presidência da autarquia da Figueira da Foz. 
A fonte indicou que os serviços camarários receberam um "alerta" para a eventual existência de amianto nas telhas da cobertura do edifício - localizado na chamada zona do Bairro Novo e onde funcionou a sede da antiga Junta Autónoma do Porto - que tinha sido já destruída por uma máquina utilizada nos trabalhos agora embargados. 
Adiantou que os proprietários, depois de notificados para procederem a obras de recuperação, "optaram pela demolição" do prédio e não terão cumprido o caderno de encargos apresentado. "Existindo suspeitas de amianto, terão de cumprir as regras para o retirar", frisou a fonte da autarquia.
 (Lusa / Público. Foto principal e título nosso) 
****************************************
ADENDA de sábado, 15 de março - Email recebido de um nosso leitor: 
"Entretanto parte do edifício foi já demolido, ficando o amianto exposto e misturado com os entulhos. Até que se resolva a situação estará ali ao sabor do vento, misturando-se com as poeiras, espalhando-se e sendo respirado por quem passe no local. 
Teria sido preferível removerem os entulhos para outro local onde pudessem ser tirados e tratados sem risco para a vizinhança. É só inteligências..."

2 comentários:

Pedro Domingues disse...

Pelos vistos moda da estação é o amianto, não local em que não haja suspeita de amianto.Durante anos nós trabalhamos e estudamos em locais com telhas com amianto, eu lembro-me das telhas do Esc .João de Barros estarem partidas e muito provavelmente a libertar partículas e nunca houve o cuidado de avisar quem frequentava essa escola, quem diz essa diz qualquer outra escola na Figueira (Liceu,Bernardino Machado,Cristina Torres..).
Sim, o amianto é perigoso mas não podemos andar numa caça às bruxas por causa dele, todos os dias somos "bombardeados" com agentes perigosos e continuamos com as nossas vidas.
Em relação à demolição daquele edifício é pena que não tenham mantido a fachada original, é mais um para acabar com a traça antiga do bairro novo, qualquer dia o bairro novo perde as suas características arquitectónicas.

Anónimo disse...

Como vê, caro Toni, passado um mês e 10 dias, tudo na mesma como a lesma. Do amianto nunca mais ninguem falou. O entulho continua no mesmo lugar. A obra embargada e mais um belo postal da nossa Figueira foi apresentado aos turistas na Páscoa e provavelmente vai estar ainda assim no Verão...

CLIQUE EM MENSAGENS ANTIGAS E CONTINUE A LER 'O PALHETAS NA FOZ'
=================================================================

Translate this newspaper for other languages

---------------------------------------------------------------------------------------------------